loader image

ISSN 2764-8494

ACESSE

Socioambiental
Seu tempo de leitura: 2 minutos

Os povos do Cerrado: sociobiodiversidade e defesa da soberania alimentar

Por Maria Emília Pacheco

O Cerrado é o coração do Brasil. É o “berço das águas”, onde os rios das três bacias hidrográficas – São Francisco, Tocantins e Prata – tecem a geografia que une várias regiões. É um grande território de rica diversidade biológica nos domínios dos chapadões, planaltos, tabuleiros, veredas, sertões, campos rupestres, matas de galeria.

Foto: João Zinclair

Em suas paisagens e ecossistemas há múltiplas relações socioculturais de seus povos com a natureza que constroem nossa sociobiodiversidade. Lá estão “os povos indígenas de tronco Jê (como os Xerente, Xakriabá, Apinajé e Xavante), mas também Tupi-Guarani (como os Guarani e Kaiowá) e Arawak (como os Terena e os Kinikinau). Lá vivem as comunidades quilombolas, como os Kalunga (de Goiás e Tocantins), os Jalopeiros (do Jalapão) e muitas outras. Lá estão também as comunidades tradicionais, como as quebradeiras de coco-babaçu, raizeiras, comunidades fecho de pasto, apanhadores (as) de flores, benzedeiras, retireiros (as), pescadores (as) artesanais, pantaneiros(as)” (Aguiar e Lopes, 2021:240).

E nos sertões dos gerais estão os gerazeiros (as), vazanteiros (as), veredeiros (as). São identidades que moldaram e foram moldadas pelas paisagens e o viver no Cerrado. E há também os povos tradicionais de matriz africana e povos de terreiro, os assentados e assentadas da reforma agrária, os trabalhadores rurais sem-terra, camponeses e camponesas.

Confira o artigo completo, clicando AQUI.

Maria Emília Pacheco

Maria Emília Pacheco é ex-presidente do CONSEA, integrante do Núcleo Executivo da Articulação Nacional de Agroecologia (ANA), assessora da FASE e faz parte do Fórum Brasileiro de Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional- FBSSAN.

Essa matéria foi publicada também na ANA – Articulação Nacional de Agroecologia


Já que chegaste até aqui, queremos te convidar a conhecer melhor a Pluriverso. Além dos conteúdos da Revista Colaborativa Pluriverso, você encontrará Cursos, seminários, eventos, oferecidos pela nossa rede de Anfitriãs/ões além de Fóruns públicos e grupos de trabalho e debate autogestionados, ligados ou não a organizações e processos formativos. Sim, Você pode criar o seu.

Vem fazer parte dessa rede diferente, de gente com vontade de fazer do mundo um lugar melhor.

Matérias relacionadas

Oxalá, tomara, que assim seja

Claudio Barría Mancilla O certo era escrevermos um belo texto editorial, poético, afetivo, simbólico e épico, que estivesse à altura do momento histórico que o...

Já conhece a Pluriverso?

Assine de forma gratuita e mantenha-se atualizado. Não vamos encher sua caixa postal. Só o que importa!

ANFITRIÕES DA PLURIVERSO

Coletivos, organizações, redes, artistas, ativistas, mestres populares e pesquisadores que possuem um espaço na plataforma Pluriverso onde veiculam cursos, eventos, serviços ou produtos, além de mediarem debates públicos e grupos de debate.

AVISO LEGAL

A Pluriverso é uma plataforma digital colaborativa, que recebe e publica conteúdos multimídia (textos, vídeos, etc.) em português e espanhol, sob licença Creative Commons BY-NC-SA 4.0. Como Recurso Educativo Aberto e mídia livre pautada na partilha, e em acordo ao licenciamento adoptado, estimulamos a remixar, adaptar e criar a partir do nosso conteúdo, desde que atribuído o devido crédito aos autores e ao veículo, e que as novas criações sejam licenciadas sob termos idênticos. Não é permitido o uso para fins comerciais, sem autorização explícita e por escrito.

Veja em detalhe o conjunto de padrões de uso contidos nesta licença https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0/legalcode.pt.