Saúde e bem viver

Agrofloresta: plantando um novo tempo

Por Nat Muguet*

Sítio Semente | Curso Agrofloresta Medicinal e Aromática
Foto: Ana Paula Rabelo

Na natureza tudo existe em cooperação. Cada ser vem equipado para cumprir sua função com excelência e, movidos pelo prazer interno, contribuem para a manutenção da vida no planeta.

Há tempos os seres humanos vivem desconectados da sua própria função no macroorganismo e, ao invés de favorecer a continuidade da vida, nossa existência vem causando contratempos. Somos a única espécie que come frutas e joga as sementes naquilo que chamamos de lixo, impossibilitando que germinem e deem continuidade a vida.

Deveríamos estar participando do sistema para dinamizar processos e evoluir em sintonia com os outros seres que também habitam este planeta, estabelecendo diálogos e cooperando também. As leis da natureza são dadas e não cabe a nós modificá-las, mas sim, dançar conforme a música.

Está mais do que na hora de repensarmos as nossas relações, de produzir mais e consumir menos, criando agroecossistemas inteligentes, abundantes e biodiversos.

Estamos nos afastando da nossa própria natureza. Não aceitamos que somos parte do todo. Na nossa desconexão deixamos de perceber que a humanidade é um dos componentes da maior tecnologia já criada: a floresta. Mais do que ser parte dela, a floresta está dentro de nós.

Manual da Mulher descalça 3 | Corpo selvagem
Foto: Helena Cooper – https://bio.site/helenapcooper

Quando estou trabalhando na terra, deixo que o Reino Vegetal me cure da mesma forma que cura o solo, sustentando a vida e florescendo em amor incondicional.

Precisamos reconectar com a fonte direta de vida e toda sua capacidade de regeneração. Para mim, a grande ferramenta para essa jornada é a agrofloresta.

Através da agrofloresta cumprimos a nossa função como seres otimizadores dos processos de vida, ocupamos nosso lugar no ecossistema e nos tornamos seres bem vindos e queridos pelo todo. Passamos a gerar mais vida ao invés de apenas degradar, nos tornando produtores e deixando apenas de ser consumidores.

É um caminho sem volta! 

Quem nunca se perguntou como seria a vida bucólica no campo? Cheirinho de fogão de lenha, campos de flores e a grande magia de colher o sol através do seu próprio alimento, plantado pela suas mãos. Esse cenário é real e possível, mas requer uma dedicação que não consigo mensurar em palavras.

Muitas pessoas me perguntam como começar esse caminho junto a natureza, principalmente nesse momento que ninguém que ficar na cidade. Essa pergunta é tão complexa de responder, que é impossível formatar ao ponto de ter uma receita de bolo ou um mapa que eu possa disponibilizar para download.

Quando descobrir que pode ser um agente positivo das ações do metabolismo desse planeta, que é ser agricultor, tudo faz sentindo de verdade e nenhuma outra ação que não seja plantar floresta passa mais pela sua cabeça. E para cumprir essa função realmente é necessária uma dedicação considerável, uma força de propósito maior, que transcende a existência do eu.

A Agrofloresta é encantadora, mágica e inclusiva. Quando compreendemos essa lógica de cuidar da terra, a forma que sempre pensamos deixa de fazer sentido. É como se tivéssemos feito as pazes com a nossa verdadeira Natureza. Mas sustentar todo esse caminho realmente não é fácil, é um trabalho de dia após dia.

Vejo nitidamente esse deslumbramento com a Agrofloresta, que muitas pessoas tem. No início tudo é lindo, brilhante e reluzente, mas na roça não existe o conforto e a comodidade da cidade. Além disso, hoje em dia não basta ser só agricultor, você tem que ser também um excelente comerciante, administrador, delivery, designer, contador e influencer de instagram. E quando você se torna mãe no meio rural? 

Em meio a tantos desafios, precisamos fazer com que essa transição da cidade-campo para seja de fato leve, harmoniosa, duradoura e que saia da utopia. Precisamos que a sustentabilidade alcance todas as áreas da vida, de verdade.

Vivemos tempos complicados… tempos de isolamento, distanciamento de outros seres humanos e do ambiente externo. O que tenho percebido claramente é o aumento do número de pessoas migrando para o campo, seja para uma terra de família ou para um novo projeto. Das muitas que não fizeram esse movimento e continuam na cidade, gostariam de fazer ou pelo menos ter mais contato com a natureza no seu dia a dia.

Mais do que nunca precisamos dessa proximidade com o Reino Vegetal e sua sabedoria. Precisamos recuperar nossa autonomia, com a saúde interna e externa, pois estas, sem dúvida, constituem a base firme necessária para enfrentarmos esse momento.

A vida pulsa e quer brotar. Tudo é uma questão de criarmos as condições necessárias.

Como você percebe a natureza que te cerca e te habita? O que você tem feito para gerar mais vida ao seu redor?

Agrofloresta Medicinal e Aromática – Sítio Semente

* Nat Muguet é etnobotânica, precursora no Brasil e no mundo no plantio de ervas medicinais e aromáticas em sistemas agroflorestais no Sítio Semente. Além de sommelier de chá pelo World Tea Academy – EUA e pelo Instituto CHÁ, especialista em Plantas Medicinais Ayurveda pelo centro The Arya Vaidya Pharmacy – Índia, Aromaterapeuta pelo IBRA e Terapeuta Floral. Um amor e tanto pela natureza e seu poder de cura!

Sobre nós | Sítio Semente Online
Foto: Tawana Roig – tawanaroig.tumblr.com

(**) Foto da capa: Camila Leite @camila_r_leite

Matérias relacionadas

Conheça os Cursos, Seminários e Eventos da Pluriverso

Receba as novidades

Assine nossa newsletter e faça parte da rede Pluriverso.

Apoie o Pluriverso

Faça parte da rede de co-financiamento solidário.

Assine de forma gratuita e mantenha-se atualizado. Não vamos encher sua caixa postal. Só o que importa!