Envie uma mensagem para a Conferência de Segurança Alimentar e Nutricional

  • Brenda Hevely Gomes dos Santos

    Membro
    23 de novembro de 2023 em 15:15

    Os jovens primeiramente precisam entender o seu lugar e seu papel na sociedade e no território onde vivem. Em meio à pesquisas, vemos que a saída está sendo às atividades de produção familiar, a agricultura familiar vem crescendo como caminhos viáveis para garantir o mínimo de segurança alimentar da população. Diante do cenário apresentado, colocamos em pauta o racismo alimentar, aonde pessoas são distanciadas do acesso de consumo de alimentos saudáveis.

    Os jovens com propósitos de: diálogo e valorização da cultura negra, sendo um debate democrático incluindo todos e todas as opiniões e conciliando a melhor solução. Também como, oficinas e exposições para o combate de NUTRICÍDIO e a participação de todos como ferramenta de motivação.

  • Wictoria Lopes

    Membro
    23 de novembro de 2023 em 17:32

    É necessário alertar seriamente a todos sobre a necessidade de uma boa alimentação, saindo assim do artificial para o saudável.

    Sabemos que infelizmente muitas famílias não tem oportunidade de ter legumes e frutas a “mesa… incluindo em grande número as famílias negras, com poucas oportunidades até de “plantar” para “colher”.

    Se talvez comércios ( Ceasa, Sacolão, mercados, Hortifruti..) fizessem doações ao final do dia desses alimentos, ajudaria muito a população pobre. Poucos lugares aderiram essa prática, os jovens por terem facilidade com a inovação poderiam fazer a ponte entre as pessoas que precisam e os comerciantes, fazendo com que mais comércios/agricultores aderissem essa prática.

  • Ruan Souza prado dos santos

    Membro
    23 de novembro de 2023 em 18:16

    As juventudes tem um papel muito importante contra o combate ao nutricídio e racismo alimentar e podem diminuir isso criando ou apoiando programas que ofereçam acesso a alimentos saudáveis em comunidade, encorajar o empreendedorismo local relacionado à produção de alimentos saudáveis. Essas e outras iniciativas ajudariam muito as famílias mais necessitadas.

  • Ingred Da silva

    Membro
    23 de novembro de 2023 em 19:21

    É importante alertar a todos sobre a necessidade de uma boa alimentação, saindo assim dos alimentos artificiais para uma alimentação e vida mais saudável.

    Sabemos que infelizmente a alimentação boa para muitas famílias pobres e de baixa renda é um grande problema por falta de oportunidade de ter frutas e legumes a “mesa. Incluindo em grande número de famílias negras.

    Se os grandes comércios ( Mercados, Ceasa , Sacolão, Hortifruti e outros. ) fizessem doações ao final do dia de alguns alimentos, ajudaria muito a população de baixa renda. Os jovens por terem facilidade comunicação e a tecnologia poderíamos juntos fazer a ponte entre as pessoas que precisam e os comerciantes, fazendo com que mais comércios/ agricultores aderissem essa prática.

  • Giovanna da Silva Corrêa

    Membro
    23 de novembro de 2023 em 20:10

    Divulgar informação sobre reutilização de alimentos, restos que poderiam ser aproveitados por cada pessoa em sua casa ou restaurantes , acredito que cascas tem algum benefício para saúde e isso poderia ajudar bastante para um futuro melhor do planeta.

    No caso da luz , lugares que está na falta de energia, a pessoa trabalha precisando de geladeira ou qualquer outro eletrodomésticos , como vai resolver essa situação? Então, é certo que ela necessita de amparo , já que esse é o meio dela se sustentar.É necessário os protesto que vem acontecendo, estão correndo atrás dos seus direitos .

  • Daniella Da Costa David

    Membro
    23 de novembro de 2023 em 21:11

    Para combater o nutricídio e o racismo alimentar, é importante: Educação Alimentar: Promover a educação sobre escolhas alimentares saudáveis e sustentáveis, garantindo acesso a informações equivalentes. Promover Agricultura Sustentável, incentivando práticas agrícolas sustentáveis e a produção de alimentos locais para reduzir a dependência de alimentos processados. Identificar e confrontar práticas discriminatórias em relação ao acesso a alimentos e promover a diversidade na indústria alimentar. A população precisa também aumentar a conscientização sobre os impactos do nutricídio e do racismo alimentar, incentivando ações individuais e coletivas.

  • Kauan Vieira

    Membro
    23 de novembro de 2023 em 21:41

    As juventudes têm a responsabilidade de promover a conscientização, mobilização e ações para combater o nutricídio e o racismo alimentar em seu território. Isso pode incluir educação sobre alimentação saudável, acesso a alimentos nutritivos, combate ao desperdício de alimentos e promoção da igualdade de oportunidades na área alimentar.

    Sabemos que infelizmente a alimentação boa para muitas famílias pobres e de baixa renda e um grande problema por falta de oportunidades de ter comida frutas e legumes “mesas incluindo em grande número de famílias negas

  • Alex Brito

    Membro
    23 de novembro de 2023 em 22:03

    Asegurança alimentar existe quando as pessoas têm alimento básico suficiente o tempo todo para lhes prover calorias e nutrientes a fim de levarem uma vida totalmente produtiva. Quando se pergunta às pessoas pobres qual é a maior prioridade para elas e suas famílias, a resposta geralmente é: alimento. O primeiro Objetivo de Desenvolvimento do Milênio (ODM) é “erradicar a pobreza extrema e a fome”. Este objetivo é essencial para alcançar os outros sete ODMs.

  • Cinthia Pereira

    Membro
    23 de novembro de 2023 em 22:12

    Então, na minha opinião a falta de alimentação adequada para os jovens é que primeiramente os de casa deveriam se impor ainda mais se os jovens forem de menor , o exemplo vem dos pais ou seja com quem cada um mora . E sobre o racismo no que eu entendi é que sempre as pessoas de pele mais clara tem mais vantagens, pode não ser rica ,mas só pelo fato de diferença de cor as pessoas se desfazem da outra inclusive em restaurantes, é uma diferença enorme de tratamento.

  • Dominique Araújo

    Membro
    23 de novembro de 2023 em 23:34

    É muito importante uma reeducação alimentar, hoje em dia temos como base alimentos “fitness” (saudáveis) que pesam muito no bolso e acabam se tornando inacessíveis para algumas pessoas, algo que deveria ser mais acessíveis. Sabemos que por mais que seja em poucas quantidades, as frutas e legumes acabam não sendo tão consumidas por pessoas de baixa renda.

    Perto da minha casa tem um hortifruti que doa algumas verduras e legumes, então acho que se todos os comércios se conscientizarem dessa forma, vai beneficiar muito mais as pessoas de baixa renda. Fazendo assim com que muitos consigam se alimentar bem, independente de classe social, diminuindo o nutricidio.

  • Vitória Conceição Rodrigues Silva

    Membro
    23 de novembro de 2023 em 23:49

    Então aqui no meu território todos sábados recebem verduras do sacolão para a comunidade, acho isso muito importante porque às vezes tem gente que não tem condições de comprar e quando sobra eles faz sopão e dá para os moradores de rua então acho isso muito importante e também é bom para as pessoas ver a aprende a fazer uma boa ação e ajuda o próximo se todo lugar iria ser bem melhor essas atitudes podem mudar muito pq além da verdura ser bem saudável tem bastante nutrientes eu acho isso importa demais os jovens de hj em dia deveria se interessar mas nisso não só os jovens mais também a população inteira..

  • Radhíja ferreira

    Membro
    24 de novembro de 2023 em 09:08

    Como jovem, sinto que é nossa responsabilidade lutar contra o nutricídio e o racismo alimentar em nosso território. Devemos conscientizar nossa comunidade sobre a importância de uma alimentação saudável, promover ações que garantam o acesso igualitário a alimentos de qualidade e combater qualquer forma de discriminação na hora de se alimentar. Podemos criar um futuro mais justo e saudável para todos.

  • Dandara Cristine

    Membro
    24 de novembro de 2023 em 18:32

    Populações de baixa renda, áreas rurais ou comunidades em situação de vulnerabilidade social podem enfrentar desafios para garantir alimentos de qualidade. A falta de recursos financeiros, infraestrutura adequada e acesso a mercados pode comprometer a segurança alimentar dessas populações, não apenas a nutrição, mas também pode comprometer outros direitos, como o direito à saúde e a uma vida digna.

    A vulnerabilidade aos impactos das mudanças climáticas na mesa está muitas vezes relacionada à capacidade de adaptação das comunidades e indivíduos, que é influenciada por fatores econômicos, geográficos, educacionais e políticos.

  • Paloma Barbosa

    Membro
    24 de novembro de 2023 em 20:34

    Atualmente, cerca de 10 milhões de crianças menores de cinco anos sofrem de desnutrição alimentar esse é um grande retrocesso na luta contra a fome diariamente, milhões de pessoas não têm o que comer a alta de preços dos alimentos e outras consequências socioeconômicas potencializadas aumentaram ainda mais a gravidade dessa situação.

  • Matheus Crespo

    Membro
    26 de novembro de 2023 em 21:43

    Fortalecer os compromissos políticos com a Democracia, com a erradicação da fome com Comida de Verdade e com o Direito Humano à Alimentação Adequada, por meio de sistemas alimentares justos, antirracistas, antipatriarcais, sustentáveis, promotores de saúde, Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional.

  • Kizia Alves

    Membro
    27 de novembro de 2023 em 02:12

    Os jovens precisam se compreender como parte importante da sua comunidade e sociedade com isso ele entende que o futuro começou ontem e o que ele faz tem resultado. Líderes sociais de pequenos bairros, vilas, comunidades levam informação coerente a verdade e podem trazer projetos que podem garantir uma melhora pros seus próximos como a Bem TV faz com a iniciativa. “Jovens Comunicadores” <div>
    </div><div>O nome ‘nutricídio’ é auto-explicativo, ou seja, é uma forma de matar a população pobre e preta através da alimentação. E se considerarmos que a indústria, mesmo sabendo dos malefícios, continua estimulando diariamente o consumo desses produtos, e não buscam alternativas para diminuir o impacto causado na saúde da população, isso é, sem dúvidas, um nutricídio premeditado. </div><div>Exemplo: Mc Donuts fazendo lanche que parte do lucro iria ser enviado para o combate ao câncer infantojuvenil. </div><div>O nutricídio é também um termo que se refere a má alimentação e o impacto na saúde da população pobre, preta e periférica. </div><div>A falta de boas informações e o estímulo publicitário estão diretamente relacionados com a alta no consumo de produtos pobres em nutrientes, fibras e vitaminas. Atualmente, especialmente na população negra e periférica, é notável o alto consumo de ultraprocessados e alimentos de origem animal classificados como possivelmente cancerígenos ou cancerígenos, os quais são responsáveis por diversos problemas cardiovasculares. Atualmente, as populações em países com alto consumo de produtos ultraprocessados, alto teor de açúcar, farinha branca, sal, gorduras e químicos alimentícios, estão sofrendo diversas consequências por conta do que estão ingerindo diariamente. Uma alimentação baseada em produtos industrializados e com pouca presença de vegetais in natura, ao longo prazo, tende a ser completamente prejudicial à saúde humana.</div><div>Para resolver de forma iniciaval grandes comércios como o Ceasa, rede Guanabara, Assaí Atacadista, Grupo Carrefour e outros fizessem doações semanais de bons vegetais e frutas que não foram vendidos para associações de moradores de lugares periféricos como exemplo para que outros poucos menores um dia seguirem o mesmo exemplo evitaria o desperdício desnecessário e alimentaria muitas pessoas. </div><div>Prefeitos com a ajuda dos Líderes sociais iniciarem momentos ontem ensinem as pessoas a plantar, cuidar da terra com mais ideias sustentáveis como adubação com casca de vegetais e frutas, compostagem, reciclagem. </div><div>
    </div>

plugins premium WordPress

Assine gratuitamente o boletim Pluriverso Conspira
Não vamos encher sua caixa postal. Só o que importa!