Artes

Artes Visuais e Feminismo: A guerrilha virtual da Napupila na pandemia

Por Ana Emília Lobo, Julia Baker e Michaela Blanc


A Wikipédia é o maior e mais popular site de referência geral na internet, com mais de 40 milhões de artigos em mais de 250 línguas diferentes. Devido ao seu licenciamento em Creative Commons, seu conteúdo se difunde para além das páginas da própria Wikipédia.

Nesse cenário:
Apenas 10% de seus colabores se identificam como mulheres; uma pesquisa mais recente aponta para um percentual global de 16% e de 22% nos Estados Unidos. Os editores trans e de gênero não-binário são basicamente inexistentes.

O NaPupila foi cofundado por três mulheres curadoras emergentes, como um grupo sempre experimentamos e discutimos questões de gênero. Embora tivéssemos considerações sobre como e por que as mulheres ainda são minoria como curadoras-chefe, diretoras de museus e pouco mencionadas em livros de arte, etc., sentimos a necessidade de tornar isso mais visível para nossos colegas, destacando os tópicos femininos e de gênero em nosso trabalho.
Arte+Feminismo é uma iniciativa global que pretende suprir a lacuna de temas ligados a gênero na Wikipédia. Os eventos (conhecidos como edit-a-thons) ensinam à pessoas de todas as identidades como editar a Wikipédia e diminuir a lacuna de gênero.
Todo ano durante o mês de março, ajudam a organizar eventos comunitários da campanha Arte+Feminismo, onde pessoas de todas as identidades e expressões de gênero se reúnem para aprender a editar Wikipédia.


Nesses eventos, as pessoas criam novos artigos e melhoram o conteúdo existente sobre artistas de diferentes etnias, feministas, ativistas e criadores do vasto espectro de gênero e identidade.

Entendemos que essas ações estavam em sinergia com muitas coisas as quais acreditávamos. Por isso, desde de 2019, realizamos edições do Edith-a-Thon. Em 2019, o evento aconteceu no Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica no Rio de Janeiro e em 2020, na Biblioteca do Parque Lage.

Antes da quarentena, recomendada para conter a proliferação acelerada do CoVID 19 prevíamos dois encontros na Biblioteca da Escola de Artes Visuais do Parque Lage . A primeira reunião foi realizada no local em 10 de março de 2020 e a segunda (31/03/20) também seria na Biblioteca. Durante essa primeira reunião, NaPupila explicou como era fácil navegar e editar artigos na Wikipedia e discutimos sobre a falta de representação feminina em livros, Wikipedia e outras fontes de pesquisa.


Após a primeira reunião, fomos capazes de unir forças com outras instituições para termos mais participantes e fontes para o dia da maratona. O Instituto Moreira Salles – através da figura de Bruno Buccalon – forneceu material de pesquisa impressionante sobre as figuras femininas em sua coleção de arquivos. Érica Azzellini e Giovanna Fontenelle, do Wiki Brasil Movement – também foram parceiros incríveis antes e durante o evento. Eles têm um ótimo conhecimento sobre a plataforma Wiki e se ofereceram para ajudar os participantes durante o dia da maratona e depois. Como dissemos, planejamos realizar o evento no espaço da Biblioteca com todos os participantes reunidos, no entanto, devido às mudanças no mundo e à necessidade de aplicar distância social para evitarmos problemas de saúde e sociais no Brasil, fomos forçados a mudar o formato do evento e, devemos dizer, funcionou perfeitamente.
Pensando em maneiras de realizar o evento na situação atual, decidimos fazê-lo completamente online. Em 31 de março, a maratona foi realizada pelo aplicativo Zoom. Das 14:00 às 22:00, estávamos online realizando workshops explicando a importância dessa ação e como editar na Wikipedia. Nós e todos os nossos parceiros estivemos on-line o tempo todo, para podermos ajudar os novos editores e orientá-los.

Em apenas um dia, nossos colaboradores fizeram mais de 100 edições, foram criados 05 novos artigos, 21 foram adicionadas novas informações e 373 foram visualizados. Feminismo, gênero, arte brasileira, ativismo e feminismo foram os principais assuntos dos artigos em que trabalhamos.

Dados computados diretamente na plataforma

Mais de 30 pesquisadores, curadores e críticos de arte participaram de nossa maratona, acessando o aplicativo Zoom e trabalhando muito duro nos artigos e no entendimento das ferramentas WIki. Elas eram mulheres brasileiras, vivendo em diferentes estados e até países, que entendiam a importância da ação e como isso poderia reverberar em outras ações no mundo da arte que poderiam ajudar as mulheres a ter um papel mais protagonista em livros, pesquisas e historiografia das artes.

Outro resultado do edi-a-thon foi um grupo criado com algumas das participantes que decidiram fazer entrevistas com algumas das artistas femininas que incluímos e alteramos na Wikipedia. Enfrentamos novos tempos e novas maneiras de criar conexões e nos relacionar com as pessoas e, felizmente, nosso evento foi capaz de criar um grupo on-line caloroso, comprometido em desafiar a sub-representação de agentes femininas no mundo da arte. Mantemos nossos esforços em representar as mulheres e esperamos aumentar o número de participantes no próximo ano!

A ação que aconteceu nesse primeiro mês da pandemia se estendeu para os meses subsequentes. Em isolamento social, firmamos novas parcerias com o Instituto Moreira Salles e Wiki Movimento Brasil. As edições subsequentes tiveram como tema respectivamente “Arte e Trabalho” em maio de 2020 e “Arte e Arquivo: Giro Decolonial” em julho de . Em agosto fomos contempladas pelo edital emergencial Cultura Presente do Governo do Estado do Rio e realizamos uma editatona destinada a dar visibilidade à artistas Trans.

As edições temáticas contaram com mesas de debates com especialistas em diferentes áreas e artistas com produções afins aos assuntos discutidos. O projeto teve continuidade em 2021, agregando novas parcerias. Em março realizamos uma editatona junto do Asian Art Archive in America, focando na edição de artigos da wikipédia sobre mulheres asiáticas e uma segunda parceria com a wikieditoraslx de Portugal na editatona Luta das Mulheres, dedicada a verbetes de mulheres atuantes no circuito de artes visuais de países lusófonos. Erica Azellini e Giovana Fontennelli da Wiki Movimento Brasil estiveram em todas as edições e seguem conosco fornecendo tutoriais de edição durante os eventos.

Durante a pandemia fomos obrigados a reconfigurar nossas vidas e buscar alternativas para dar sequência aos nossos projetos. Os desafios, diante desse lastimável episódio, são múltiplos sobretudo para as mulheres. Esperamos que aldeias virtuais como essas criadas pela Coletiva de Pesquisa Curatorial Napupila inspirem outras mulheres e outros coletivos.



Lua Barbosa – Yarinés Suárez – Tanja Baudoin – Juliana Machado – Rubia Luiza da Silva – Gabi Carrera – Bruno Buccalon – Amanda Tavares – Ana Vigorito – Bia Morgado – Bianca Bernardo – Bruna Araújo – Bruna Costa – Caroline Fucci – Cristina Barros – Daniela Kern – Érica Azzelini – Giovanna Fontenelle – Gabriela Noujaim – Ingrid Bittar – Juliana Proenço – Laís Ribeiro – Mariane Vieira – Priscila Medeiros – Tatiana Silva – Vanessa Tangerini – Luciana Grizotti – Silvia Schiavone – Rachel Souza – Thaís Azize – Lili Noujaim – Mariana Benatti – Rosangela Meger – Ingryd Lamas – Mariana Medeiros – Rachel Rezende – Celio Costa Filho – Letícia Larín – Laura Cattani – Carol Pezzin – Marília Alves – Gabriella de Castro – Eliz Almeida – Tais Barcia – João – Renan Lima – Inaê Coutinho – Ana Luiza de Abreu – Aline Besouro – Luana Fonseca.


* Publicado originalmente em Napupila.
** A cada ano convidamos uma artista para ilustrar nossas peças de divulgação. Em 2019 tivemos como inspiração os trabalhos de Ingrid Bittar. 2020 as artista parceira foi Aline Besouro. Fernanda Gringolin, Silvana Mendes e Elle de Brernardini. Em 2021 contamos com a artista Sophia Pinheiro.


Quer editar junto com a Napupila? Siga os seguintes passos:

  • faca login na Wikipédia
  • Se cadastre como editora de no evento wiki aqui
  • Preencha esse formulário  para entrarmos em contato com você nas próximas edições.

Já tem uma pesquisa sobre uma artista ou iniciativa feminista de arte? Entre em contato!

Saiba mais sobre o Edith-a-thon nesse Guia Rápido

Matérias relacionadas

Con(s)ciência, ou 20/11/20

por Clementino Junior* “Como? Em perspectiva ou realidade somosConscientes da mortalidadeComo único animal, o único animalSomos o único animal, consciente da mortalidadeCom é que eu

Conheça os Cursos, Seminários e Eventos da Pluriverso

Receba as novidades

Assine nossa newsletter e faça parte da rede Pluriverso.

Apoie o Pluriverso

Faça parte da rede de co-financiamento solidário.

Assine de forma gratuita e mantenha-se atualizado. Não vamos encher sua caixa postal. Só o que importa!